Norton – A qualidade das motos inglesas

17 Flares Facebook 12 Twitter 3 Google+ 2 17 Flares ×

As motos Norton podem não ter o peso dos nomes Harley-Davidson ou Indian, mas quem entende do assunto conhece a importância e a tradição delas no motociclismo ocidental. Fundada na Inglaterra em 1898, a Norton Motorcycle Company teve uma trajetória repleta de altos e baixos e firmou-se como uma das grandes fabricantes de sua geração.

1902 - Primeira Norton equipada com um motor Peugeot

1902 – Primeira Norton equipada com um motor Peugeot

 

História das motos Norton

A companhia original foi criada em Birmingham, Reino Unido, por James Lansdowne Norton. O objetivo da empresa era trabalhar com manufatura e manutenção de motocicletas de cilindro duplo. Os primeiros motores feitos pela própria empresa surgiram em 1908, começando uma linha que continuaria com pouquíssimas alterações até a década de 50.

Em 1913, os negócios pioraram, mas os principais sócios da companhia deram conta de salvá-la da falência. J. L. Norton, o fundador, morreu aos 56 anos em 1925. Já em 1927, o motor Norton CS1 começa a ser fabricado e alavanca consideravelmente as vendas.

Como a grande maioria das fabricantes do período, a Norton também enviou seus modelos para ajudar as tropas inglesas na Segunda Guerra Mundial. No pós-guerra, a companhia entrou em grande ascensão econômica, com séries como a Norton Dominator conquistando o mercado. Paralelamente, a empresa investiu pesado em modelos para corrida (um dos mais bem-sucedidos foi o Triton, híbrido de corpo Norton com motor da Triumph).

Moto Norton utilizada na II Guerra Mundial

Moto Norton utilizada na II Guerra Mundial

 

Em 1953, a Norton foi vendida para a AMC (Associated Motorcycles). Sob o comando da nova proprietária, a empresa criou novos e melhorados motores para motos maiores.

Nos anos 60, a competição com as marcas japonesas ficou acirrada e levou todo o mercado inglês ao declínio. A AMC foi reformulada como Norton-Villiers. No final da década, a série Norton Commando foi criada em diversos modelos e representou grande sucesso comercial.

O começo dos anos 70, por outro lado, trouxe mais dificuldades para a empresa. A situação financeira delicada levou a uma fusão com a Triumph, formando a NVT (Norton-Villiers Triumph), que resistiu aos problemas do mercado até o final dos anos 80. Com o lançamento dos motores Wankel e de toda uma linha de produtos baseados neles, a companhia seguiu a produção até o começo do século XXI, quando uma dívida de sete milhões de libras levou ao fim das atividades.

E as Norton ressurgem…

No final dos anos 90, um grupo de fãs da marca que era especializado em reconstruir Commandos passou a também produzir novos modelos com o apoio da própria companhia. A nova operação ocorreu em Donington Park e reviveu a paixão pelas Norton.

Em março de 2013, a Norton anunciou o Donington Hall como seu próximo complexo de fabricação. Com 26 acres de extensão, o novo quartel-general da empresa promete reacender a produção, para deleite dos motociclistas.

Norton Commando 961 Sport - 2014

Commando 961 Sport

 

 

17 Flares Facebook 12 Twitter 3 Google+ 2 17 Flares ×
final do post4

Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *