Café Racer – customização, velocidade e história

25 Flares Facebook 21 Twitter 1 Google+ 3 25 Flares ×

moto-cafe-racer

As motocicletas guardam uma história riquíssima, nem sempre conhecida pelo grande público. Frutos de sua época, cada modelo possui características próprias.

As choppers e os bikers são a visão mais emblemática de como um motoqueiro deve ser: como Wyatt e Billy em Easy Rider, esse estereótipo surgiu a partir dos 1960 nos Estados Unidos e vive até hoje. Mas em se tratando da relação do homem com a sua moto, há ainda um movimento de contracultura europeu que também retrata muito bem o estilo de vida sobre duas rodas: os rockers.

Garotos ingleses, jukeboxes, topetes que jamais saíam do lugar, muito couro e rock ‘n’ roll, apostas intermináveis para ver quem chegava antes com a sua moto até o próximo café da esquina: o movimento Café Racer teve seu auge na Inglaterra e logo se propagou por toda a Europa. A ideia máxima de rebeldia era apostar corridas com suas motos customizadas, ágeis e rápidas entre um café e outro.

Os ton-up boys, como eram conhecidos os seguidores desse estilo, faziam as suas motos chegarem a 160 km/h, velocidade alcançada com a customização, já que as motos originais eram caras.

Os rockers foram inicialmente influenciados pelo estilo rockabilly americano. Eram oriundos do 59 Club da Inglaterra, uma organização de jovens cristãos, mas que mais tarde se tornou um moto clube com membros em diversos países.

Rockers customizadas

As motos do movimento rocker eram mais esportivas, mais dinâmicas, tinham guidões baixos e pedaleiras recuadas. Ela permitia que o piloto ficasse em uma posição confortável e bem encaixada sobre a moto, como uma verdadeira moto de corrida.

As motos possuíam pneus de alta performance, como os Dunlop TT100, e escapamento e carburador bem arrojados. Buscava-se sempre equilibrar o peso melhorando constantemente a aerodinâmica. O sonho de qualquer rocker era uma Triton, com motor da Triumph Bonneville em um quadro featherbed da Norton.

moto-cafe-racer-2 moto-cafe-racer-1

Ponto de encontro

Os rockers ingleses costumavam se encontrar no Ace Cafe, em Londres. Há um mito de que os pilotos colocavam uma moeda no jukebox e corriam com suas motos customizadas em uma volta completa. Ganhava quem conseguia retornar ao café antes de a música terminar.

O movimento seguiu firme e forte por vários países até a década de 1970. Foi então que a indústria de motos japonesas propôs um novo estilo de motos mais baratas e seriadas. Além disso, a delinquência associada aos rockers fazia com que o movimento se tornasse cada vez mais antipopular.

Uma das características mais comuns dessa época era a constante rixa entre os rockers e os mods – estes eram filhos de burgueses ingleses e pilotavam as antigas lambretas pomposas e da moda. Os dois grupos se enfrentavam constantemente.

Rockers Hoje

Desde a década de 1980, rockers remanescentes e entusiastas do estilo se reúnem em eventos pela Inglaterra, integrando o The Rocker Reunion Club. Esses eventos atraem pessoas de todo o mundo, chegando a reunir milhares de pilotos revivalistas.


Gostou deste post? Cadastre-se em nossa newsletter no topo desta página e recebe todo mês as atualizações do Blog da Machine Cult. Mas fique tranquilo, respeitamos sua privacidade e não enviamos spam.

 

25 Flares Facebook 21 Twitter 1 Google+ 3 25 Flares ×
final do post2

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>